Correio de Carajás

Cadeira sustentável ajuda na recuperação de pacientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Para melhorar a circulação sanguínea e acelerar a recuperação de pacientes acamados, o Hospital Regional de Marabá adotou uma estratégia de baixo custo que tem se mostrado eficiente: uma cadeira acoplada no próprio leito do usuário. A estrutura é feita de canos de PVC e funciona como suporte para a coluna do paciente, proporcionando benefícios, como o estímulo ao funcionamento regular de diversos órgãos e o aumento da força muscular.

Segundo o fisioterapeuta Juan Patrick Lima Carvalho, que sugeriu a confecção da primeira cadeira na unidade, a iniciativa também previne o risco de queda e otimiza o trabalho da equipe. “Até então, fazíamos esse processo utilizando poltronas comuns. Com a cadeira sustentável, um dos pontos importantes é que reduzimos o risco de queda para esse paciente, uma vez que ele não é mais retirado do leito. Outro detalhe é que antes, para ser levado até a poltrona, dependendo do porte do paciente, poderiam ser necessárias até cinco pessoas para carregá-lo. E, na cadeira de PVC, basta um fisioterapeuta”, afirma.  

Seu Francisco Lexandre Lima, de 55 anos, foi um dos primeiros pacientes a utilizar a nova estrutura durante o período que ficou internado na Clínica Médica. Ele passava de uma a duas horas sentado na cadeira, em cada sessão. “Eu me sinto bem melhor e já estou retomando os movimentos do lado que ficou paralisado após o acidente de moto que sofri”, contou o açougueiro, momentos antes de receber alta hospitalar.

Leia mais:

Baixo custo

Cano de PVC, cola e conexões foram utilizados na confecção da cadeira. Ela foi montada pelos colaboradores do setor de Manutenção, que se basearam em um modelo disponibilizado na internet. O custo dessa estrutura foi de R$ 75, valor 12 vezes inferior ao de uma nova poltrona, cuja função é a mesma. O suporte é utilizado tanto na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto nas Unidades de Internação.

Para o diretor-geral do HRSP, Valdemir Girato, iniciativas como essa ampliam a qualidade do atendimento e a segurança do paciente. “Nos empenhamos para evitar eventos adversos com nossos pacientes, como a queda. Se a solução tem baixo impacto financeiro, melhor ainda, porque significa que estamos otimizando o recurso público e possibilitando novos investimentos para melhorar ainda mais o atendimento a esse mesmo usuário”, argumentou o administrador.

Nesse sentido, recentemente, o hospital adotou outra estratégia para reduzir o risco de queda na unidade, dessa vez de crianças que precisam de atendimento no Centro Cirúrgico. É o uso de motocas, como as que elas brincariam na própria casa, em substituição a macas. O brinquedo ajuda a acalmá-las e agiliza o procedimento médico. (com informações da ascom pró-saúde)

 

 

Foto: Ascom Pró-Saúde 

Para melhorar a circulação sanguínea e acelerar a recuperação de pacientes acamados, o Hospital Regional de Marabá adotou uma estratégia de baixo custo que tem se mostrado eficiente: uma cadeira acoplada no próprio leito do usuário. A estrutura é feita de canos de PVC e funciona como suporte para a coluna do paciente, proporcionando benefícios, como o estímulo ao funcionamento regular de diversos órgãos e o aumento da força muscular.

Segundo o fisioterapeuta Juan Patrick Lima Carvalho, que sugeriu a confecção da primeira cadeira na unidade, a iniciativa também previne o risco de queda e otimiza o trabalho da equipe. “Até então, fazíamos esse processo utilizando poltronas comuns. Com a cadeira sustentável, um dos pontos importantes é que reduzimos o risco de queda para esse paciente, uma vez que ele não é mais retirado do leito. Outro detalhe é que antes, para ser levado até a poltrona, dependendo do porte do paciente, poderiam ser necessárias até cinco pessoas para carregá-lo. E, na cadeira de PVC, basta um fisioterapeuta”, afirma.  

Seu Francisco Lexandre Lima, de 55 anos, foi um dos primeiros pacientes a utilizar a nova estrutura durante o período que ficou internado na Clínica Médica. Ele passava de uma a duas horas sentado na cadeira, em cada sessão. “Eu me sinto bem melhor e já estou retomando os movimentos do lado que ficou paralisado após o acidente de moto que sofri”, contou o açougueiro, momentos antes de receber alta hospitalar.

Baixo custo

Cano de PVC, cola e conexões foram utilizados na confecção da cadeira. Ela foi montada pelos colaboradores do setor de Manutenção, que se basearam em um modelo disponibilizado na internet. O custo dessa estrutura foi de R$ 75, valor 12 vezes inferior ao de uma nova poltrona, cuja função é a mesma. O suporte é utilizado tanto na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto nas Unidades de Internação.

Para o diretor-geral do HRSP, Valdemir Girato, iniciativas como essa ampliam a qualidade do atendimento e a segurança do paciente. “Nos empenhamos para evitar eventos adversos com nossos pacientes, como a queda. Se a solução tem baixo impacto financeiro, melhor ainda, porque significa que estamos otimizando o recurso público e possibilitando novos investimentos para melhorar ainda mais o atendimento a esse mesmo usuário”, argumentou o administrador.

Nesse sentido, recentemente, o hospital adotou outra estratégia para reduzir o risco de queda na unidade, dessa vez de crianças que precisam de atendimento no Centro Cirúrgico. É o uso de motocas, como as que elas brincariam na própria casa, em substituição a macas. O brinquedo ajuda a acalmá-las e agiliza o procedimento médico. (com informações da ascom pró-saúde)

 

 

Foto: Ascom Pró-Saúde 

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…
Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no final do mês passado, ratifica o poder de…