Correio de Carajás

Butantan envia à Anvisa pedido para testar soro anti-Covid em humanos

Dimas Covas apresenta dados dos estudos do soro contra o coronavírus — Foto: Reprodução/TV Globo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Instituto Butantan enviou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido de autorização para realizar um estudo clínico do soro anticoronavírus, desenvolvido pelo Instituto desde o ano passado a partir do plasma de cavalos.

“O Butantan está desenvolvendo um soro para tratar e curar pacientes com Covid-19. O instituto já protocolou na Anvisa o pedido de autorização para que pacientes possam ser tratados com o soro. A expectativa é a de que já na próxima semana a Anvisa possa autorizar o início desses testes”, disse o governador João Doria em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (5).

O vírus inativo não provoca danos aos cavalos e nem se multiplica no organismo, mas estimula a produção de anticorpos. Os técnicos retiram o plasma do cavalo, que faz parte do sangue do animal, e levam para a sede do Butantan, na Zona Oeste de São Paulo. Os anticorpos são separados do plasma e se transformam em um soro anti-Covid.

Leia mais:

Os cavalos, além de ajudarem a produzir o soro, participaram dos testes.

A autorização permitirá que o soro seja aplicado em pessoas que estão contaminadas pela doença e descobrir qual a dose necessária para obter os efeitos desejados.

O objetivo do soro é amenizar os sintomas da doença nas pessoas já infectadas. Ele não é capaz de curar e nem de prevenir a doença. O estudo é coordenado pelos médicos Esper Kallás e José Medina, da USP.

O diretor do Instituto, Dimas Covas, disse que foi enviado à Anvisa um “dossiê de desenvolvimento clínico desse produto” na última terça (2) e que espera receber “até o final do dia de hoje as observações da agência”.

Uma vez autorizados, segundo Dimas Covas, os testes serão feitos inicialmente com pacientes transplantados de rim, no Hospital do Rim, e pacientes comorbidades no Hospital das Clínicas.

Ainda de acordo com o diretor, os resultados demonstraram que o soro é seguro e efetivo em dois tipos de estudos animais.

“Os animais que foram tratados tiveram seu pulmão protegido, ou seja, não desenvolveram a forma fatal da infecção pelo coronavírus, mostrando que os resultados de estudos em animais são extremamente promissores e esperamos que a mesma efetividade seja demonstrada agora nesses estudos clínicos que poderão ser autorizados”.

Em dezembro de 2020, o diretor do Instituto, Dimas Covas, chegou a dizer que o material estava pronto e aguardava liberação da Anvisa. Entretanto, na ocasião, a Agência negou ter recebido a solicitação.

Estudos

O processo de fabricação do soro foi iniciado em uma fazenda do Instituto com os animais. A última fase de testes ocorreu em janeiro, quando os pesquisadores passaram a testar o vírus ativo da Covid.

“O soro foi inteiramente produzido no Butantan. O vírus foi isolado, inativado, e finalmente levado a imunizar os animais. O Butantan tem uma fazenda com 650 hectares e lá nós mantemos uma tropa de 800 cavalos. Alguns animais foram submetidos a esse vírus e na sequência produziram anticorpos. Esse plasma desses animais foi coletado e aí processado nas nossas instalações, dando origem ao produto.”

O Butantan já tinha usado o vírus inativado da doença para o estudo em cavalos.

O vírus foi isolado em um laboratório de segurança máxima, no caso o da USP, que tem essa certificação, e injetado em roedores.

Os estudiosos observaram quanto tempo levava para o animal produzir os anticorpos e como eles agiam para barrar o coronavírus.

Os testes para produzir o soro anti-Covid começaram em 2020. Seguiram o mesmo caminho da fabricação de outros soros, como o antiofídico, para picadas de cobras.

Fazenda onde do Butantan onde os testes foram realizados  — Foto: Reprodução/TV Globo
Fazenda onde do Butantan onde os testes foram realizados — Foto: Reprodução/TV Globo

(Fonte:G1)

Comentários

Mais

Papa Francisco alerta para "retrocesso da democracia"

Papa Francisco alerta para "retrocesso da democracia"

O papa Francisco considerou hoje (4) que há “um retrocesso da democracia” na Europa e no resto do mundo, sobretudo…
É falso que a África do Sul tenha questionado a existência da variante Ômicron

É falso que a África do Sul tenha questionado a existência da variante Ômicron

Falso É falso que o governo da África do Sul tenha dito que a variante Ômicron não existe e que…
Neste sábado (04) chegam ao Pará mais 100.620 vacinas contra a Covid-19

Neste sábado (04) chegam ao Pará mais 100.620 vacinas contra a Covid-19

O Pará recebeu, na madrugada deste sábado (4), no Aeroporto Internacional de Belém, 100.620 doses da vacina Pfizer. Até o…
Anac: pesquisa sobre compra de passagens aéreas será encerrada amanhã

Anac: pesquisa sobre compra de passagens aéreas será encerrada amanhã

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) encerra amanhã (5) uma pesquisa sobre fatores e critérios utilizados por passageiros ao escolher uma…
MP recomenda que Prefeitura de Marabá reveja estratégias de combate ao coronavírus

MP recomenda que Prefeitura de Marabá reveja estratégias de combate ao coronavírus

Nesta sexta-feira (3), o Ministério Público do Estado do Pará recomendou que a Prefeitura Municipal de Marabá acompanhe e fiscalize…
Biquini Cavadão fala ao Correio de Carajás sobre Rock in Roça e volta aos palcos

Biquini Cavadão fala ao Correio de Carajás sobre Rock in Roça e volta aos palcos

Em 2020, a banda Biquini Cavadão completou 35 anos de história, que seriam comemorados com uma turnê especial da banda…