Correio de Carajás

Biden anuncia retorno dos EUA à OMS e ao Acordo de Paris e medidas de Trump que serão anuladas

Joe Biden durante anúncio de parte de sua equipe, em 16 de janeiro de 2021 — Foto: Kevin Lamarque/Reuters
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O gabinete de transição do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou na manhã desta quarta-feira (20), horas antes da posse, uma série de medidas que serão tomadas no primeiro dia no cargo.

Entre as principais estão medidas sanitárias e econômicas de combate à pandemia, o retorno dos EUA à OMS (Organização Mundial da Saúde) e ao Acordo de Paris para o Clima e a reversão de várias outras decisões do atual presidente americano, Donald Trump, como a construção do muro na fronteira com o México e o veto à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA.

Veja as principais medidas anunciadas:

Leia mais:

Meio ambiente

  • Retorno ao Acordo de Paris para o Clima;
  • Reverter as ações ambientais de Trump “para proteger a saúde pública e o meio ambiente e restaurar a ciência”;

Saúde

  • Acabar com o processo de saída dos EUA da OMS (Organização Mundial da Saúde);
  • Obrigar o distanciamento social e o uso de máscaras em prédios e áreas federais e por funcionários públicos do governo e terceirizados;

Política externa

  • Parar a construção do muro na fronteira com o México;
  • Reverter o veto de Trump à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA;

Economia

  • Estender a moratória para despejos até 31 de março;
  • Estender a pausa no pagamento de financiamentos estudantis até 30 de setembro;

Outras medidas

  • Lançamento de uma série de iniciativas governamentais para promover a igualdade racial;
  • Prevenir e combater a discriminação com base no gênero ou na orientação sexual;

O gabinete de transição afirmou que as ações executivas visam adotar “ações para lidar com a pandemia da Covid-19, fornecer alívio econômico, combater as mudanças climáticas e promover a igualdade racial”.

Segundo o comunicado, Biden “assinará uma combinação de ordens executivas, memorandos, diretivas e cartas para dar os passos iniciais” horas após a posse, que está marcada para o meio-dia em Washington (14h em Brasília).

“O presidente eleito Biden agirá não apenas para reverter os danos mais graves do governo Trump, mas também para começar a fazer nosso país avançar”, aponta o comunicado.

Biden promete para os 100 primeiros dias de governo vacinar 100 milhões e mudar completamente a abordagem de combate à pandemia, para reduzir seu impacto econômico e social. (Fonte:G1)

Comentários

Mais

Carmén Lúcia mantém quebra de sigilo de secretário do Ministério da Saúde

Carmén Lúcia mantém quebra de sigilo de secretário do Ministério da Saúde

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido para suspender a quebra dos sigilos de Arnaldo Correia de Medeiros,…
Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

Nesta terça-feira, 15, o Brasil oficializou em uma cerimônia no Palácio do Planalto, o acordo de adesão ao programa Artemis, liderado…
Nunes Marques suspende quebras de sigilo aprovadas pela CPI

Nunes Marques suspende quebras de sigilo aprovadas pela CPI

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu duas liminares suspendendo as quebras de sigilos telefônicos e…
Evento com Bolsonaro em Marabá será no Parque de Exposição e aberto

Evento com Bolsonaro em Marabá será no Parque de Exposição e aberto

O maior evento de entrega de títulos de domínio e regularização fundiária do país. Assim está sendo tratada a solenidade…
Auxílio emergencial será prorrogado por mais 3 meses, afirma Guedes

Auxílio emergencial será prorrogado por mais 3 meses, afirma Guedes

O governo vai prorrogar o auxílio emergencial aos mais vulneráveis por mais três meses, informou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo…
STF mantém quebras de sigilo da CPI da Covid

STF mantém quebras de sigilo da CPI da Covid

Os ministros Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negaram, no sábado (12) pedidos para suspender…