Felipe Gouveia continua preso, mas seu advogado acredita que ele pode ser solto também
Ads

Depois de novo interrogatório em Marabá na madrugada deste sábado (11), frente às autoridades policiais que presidem o inquérito, Felipe Freire Sampaio Gouveia está sendo transferido para a penitenciária Anastácio das Neves, em Santa Izabel (PA), unidade que abriga militares presos. Ele é o principal acusado de assassinar a tiros o professor Ederson Costa dos Santos, na madrugada de 4 de agosto, após uma briga de trânsito. Segundo o delegado Ivan Pinto, da Homicídios, o suspeito novamente permaneceu calado diante de todos os questionamentos, e só deverá falar em juízo, o que lhe é facultado pela lei.

Ads

A Polícia tinha esperança de que o suspeito desse a sua versão dos fatos e que, entre outras coisas, respondesse onde estão o celular e a carteira da vítima, que sumiram. As autoridades acreditam que o atirador subtraiu esses itens do professor após os tiros, como denota a imagem de vídeo que flagrou o momento do crime.

NO MARANHÃO

O delegado chefiou a equipe que foi a Imperatriz (MA), munida de um mandado de prisão para buscar Felipe, que é policial militar no estado vizinho. Ivan Pinto destaca que se apresentou ao comandante do quartel local, o tenente-coronel Ilmar, explicou o ocorrido e o soldado foi chamado a sua unidade, momento em que recebeu voz de prisão. Na delegacia de Imperatriz ele também ficou calado.

Somente na sexta-feira (10), às 22 horas, o acusado chegou a Marabá, conduzido por policiais civis e também uma equipe do COE da PM do Maranhão, que veio promovendo escolta.

Em Marabá, Felipe Gouveia foi submetido a exame de corpo de delito, rito atinente a sua prisão, e passou a noite recolhido no quartel do 4º Batalhão de Polícia Militar. Nas redes sociais, depois que as imagens do CORREIO circularam, muitos internautas se queixaram do preso não ter sido algemado.

AUTORIA

Questionado se restam dúvidas quanto à autoria do crime, o delegado foi enfático: “Todos os elementos de prova colhidos até agora apontam para o soldado Felipe e a senhorita Thais. Em conversa com o acusado eu coloquei para ele que não tem como negar autoria já que os elementos de prova são bastantes contundentes”.

DEFESA

Quando Felipe Gouveia chegou ontem à Marabá, o seu advogado recém constituído Arnaldo Ramos, já estava no local. Ele falou brevemente à equipe da TV Correio – SBT: “Conversei com ele (Felipe) antes de ontem e ontem e vamos aguardar o que a polícia produziu (de provas). Eu não tive acesso ao inquérito, ainda. Terei, possivelmente na segunda-feira, e vou analisar tudo o que foi produzido e a defesa vai estudar qual vai ser a linha utilizada”. (Da Redação)

[Imagens exclusivas: TV Correio – SBT]

[Imagens exclusivas: TV Correio – SBT]


Namorada foragida é cúmplice, diz delegado

Sobre Thais Santos Rodrigues, que seria namorada de Felipe e, na visão da Polícia, é a mulher que aparece no vídeo como pivô da discussão de trânsito e também é a proprietária do carro Fox batido, o delegado Ivan Pinto disse que também existe mandado de prisão contra ela, que está foragida. O policial destaca que tudo indica que ela foi fundamental no desfecho sangrento do episódio, insuflando o seu companheiro e que ela pode ter uma pena até maior que o autor dos disparos que mataram o professor do IFPA.

O carro que teria sido batido pelo do professor na madrugada de 4 de agosto, dando início aos eventos que culminaram na sua morte, é um VW Foz 1.6, 2012, vermelho e de placas OFM-8620. Ele está em nome de Thaís e foi encontrado na garagem de uma casa no complexo Cidade Nova, coberto por uma lona preta. Hoje está na Seccional de Polícia apreendido como prova no caso.

Thais Rodrigues está sumida e a família não fala nada sobre o seu paradeiro.

Quem tiver informações acerca da localização de Thais deve entrar em contato com o Disque Denúncia Sudeste do Pará, por meio dos números do aplicativo, pelo telefone (94) 3312-3350 ou ainda através do Whatsapp (94) 98198-3350. Pode-se, ainda, acionar a Polícia Militar pelo Núcleo Integrado de Operações Policiais (Niop), no número 190.

Foto: Reprodução

——————————

CURIOSIDADES SOBRE O ACUSADO

Felipe Gouveia morou a vida quase toda em Morada Nova, fez cursinho pré-vestibular e foi aprovado no curso de Direito da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), mas ele trancou a matrícula na faculdade por ter sido aprovado no concurso para a Polícia Militar do Estado do Maranhão.

Outra situação que gerou muita controvérsia foi em relação à cor do veículo ocupado pelos assassinos. Embora o jornal tenha divulgado desde o início que se tratava de um FOX vermelho, nas filmagens o automóvel parecia branco. Isso ocorre porque as câmeras de segurança apresentam imagens em preto e branco quando não têm iluminação adequada ou quando é sistema analógico.

Pode ser que uma câmera de segurança apresente este tipo de problema quando o formato de vídeo da câmera não é compatível com a do gravador de imagens, segundo explicou Davi Oliveira, técnico de TV e rádio e técnico em eletrônica.

[Imagens exclusivas: TV Correio – SBT]

Ads