Correio de Carajás

Assassinato de PM durante assalto gera revolta e comoção

O assassinato do soldado Edileno Américo Viana, de 36 anos, gerou extrema comoção e revolta em todo o Estado. Ele perdeu a vida em serviço na tarde desta terça-feira (20). Américo, que servia no 32º Batalhão de Polícia Militar de Cametá, região nordeste paraense, foi atingido por um tiro na cabeça, disparado por um assaltante. O crime foi filmado. Dois suspeitos foram mortos ao reagir à ordem de prisão.

O caso se registrou quando dois suspeitos, identificados como Erasmo Rodrigues Ribeiro e Reginaldo Santos Soares, junto a uma mulher, cometeram um assalto na Rua 24 de Outubro, próximo ao cais, no Bairro de São Benedito. Na tentativa de fuga, utilizando uma canoa no Rio Tocantins, os criminosos foram surpreendidos por uma equipe policial.

Enquanto a guarnição se preparava para sair em busca do grupo, um disparo certeiro atingiu a cabeça do soldado Américo, conforme registrado por uma câmera de segurança no local. Socorrido por colegas, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional de Cametá.

Leia mais:

Uma segunda equipe policial foi mobilizada para capturar os suspeitos em fuga, resultando em um confronto que culminou na morte de ambos ao resistirem à ordem de prisão.

O tenente-coronel Sales, comandante do 32º BPM, informou que uma arma de fogo foi apreendida durante a ação, enquanto outra acabou caindo nas águas do rio. A mulher envolvida no crime foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, onde as investigações continuam por meio de um inquérito. A mulher não teve identificação divulgada.

A Polícia Militar do Estado do Pará emitiu um comunicado oficial expressando profundo pesar pelo falecimento do soldado Edileno Américo Viana, além de solidarizar-se com seus familiares e amigos neste momento de dor e reflexão. (Antonio Barroso/freelancer)