Correio de Carajás

Ambulância oriunda de Palestina abandona menor grávida na porta do HMI

Foto: Arquivo Correio
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A paciente Vitória Marcena da Silva, 17 anos, oriunda de Palestina do Pará, no sudeste do Pará, foi abandonada, pelo motorista da ambulância, ontem (18), por volta de 17h45, com hemorragia, soro no braço e com um quadro convulsivo no Hospital Materno Infantil (HMI), em Marabá, no sudeste do Pará.

De acordo com Alcilélia Tartaglia, gerente administrativo, a jovem deu entrada no HMI em estado grave. A equipe levou a paciente às pressas para o consultório médico. No entanto, ao procurarem o motorista para saber detalhes sobre o quadro clínico da grávida, o servidor público tinha “capado o gato”. “Vazou”.

Segundo Dr. Fábio Costa, a garota chegou ao Materno Infantil com sangramento, palidez, pressão baixa, choque hipovolêmico e crise convulsiva. De imediato, foi realizada a curetagem e procedimentos clínicos para estabilização do quadro de saúde de Vitória Silva.

Leia mais:

A equipe médica do HMI percebeu que a ficha de regulação da paciente, enviada pelo SisReg Carajás, não constava a gravidade do estado de saúde da jovem. “Os municípios dizem uma coisa na ficha de regulação, mas quando a paciente chega ao HMI, quase sempre, o quadro clínico é muito diferente”, afirmam os trabalhadores do Materno Infantil.

A Redação do Portal Debate Carajás já recebeu várias denúncias sobre a ocorrência da chamada “ambulância-terapia”. Ela ocorre em hospitais como Hospital Municipal de Marabá (HMM); Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP) e Hospital Materno Infantil (HMI), após o motorista da ambulância, vinda de outros municípios, abandonar o paciente e “pegar o beco” de volta.

Está na hora do Ministério Público, prefeitos e secretários de saúde observarem a conduta desumana de grande parte desses profissionais. Vitória estava com 11 semanas e havia sofrido um aborto. Devido à gravidade do caso, ela deu entrada no centro obstétrico do HMI em situação complicada, mas foi salva pela equipe de plantão.

O Portal Debate Carajás falou com a Prefeitura Municipal de Palestina (PMP), a atendente forneceu o contato de Maurício Barbosa, Secretário Municipal de Saúde, pois somente ele poderia se pronunciar sobre a conduta do motorista, porém o telefone dava sinal de fora de área e as mensagens enviadas, via aplicativos, também não foram respondidas. (Fonte: Debate Carajás)

Comentários

Mais

Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária Em seu discurso no evento em Marabá, o presidente do Incra, Geraldo Melo Filho,…
Começa hoje a vacinação da  população sem prioridade

Começa hoje a vacinação da população sem prioridade

Um mutirão de dois dias vai marcar o momento tão esperado pelos marabaenses: o início da vacinação contra a covid-19…
Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

A Secretaria Municipal de Saúde de Canaã dos Carajás recebeu do Governo do Estado 3.140 doses de vacina contra o…
Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

A administração pública de Parauapebas trabalha para resolver a situação dos indígenas venezuelanos da etnia Warao, que estão acampados há…
Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Logo após a execução do Hino Nacional, no Parque de Exposições, nesta sexta-feira, dia 18, o prefeito de Marabá, Tião…
Brasil aplica mais de 2,56 milhões de doses de vacina em 24 horas

Brasil aplica mais de 2,56 milhões de doses de vacina em 24 horas

O Brasil estabeleceu um novo recorde nesta quinta-feira (17) ao aplicar 2.561.553 doses de vacinas contra a covid-19 em 24…