Correio de Carajás

Adeus, Folhas: Prefeitura quer mudar nomes de bairros e ruas da Nova Marabá

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
3 Visualizações

Um distúrbio antigo que afeta a Nova Marabá caminha, enfim, para a resolução. Pelo menos é o que um projeto de lei de autoria da prefeitura pretende. Na manhã desta quinta-feira (6), durante reunião ocorrida na Sala de Comissões da Câmara Municipal, vereadores apreciaram um texto que objetiva nominar e identificar as ruas e os bairros que compõem o núcleo habitacional planejado na década de 1970 pelo governo federal.

A reunião foi convocada pela Comissão de Desenvolvimento Urbano, Obras, Serviços e Transportes. De acordo com a proposta executiva, apresentada pelo secretário municipal de Indústria e Comércio, Ricardo Pugliese, as ruas passarão a ter nomes de aves, enquanto as folhas (bairros) receberão nomes de frutas da região amazônica.

A ideia é organizar a geografia da Nova Marabá, facilitar a localização de espaços públicos e residenciais para a comunidade em geral e promover a melhoria dos diversos serviços que necessitam de localização precisa dos pontos do município. Exemplo disso são as entregas de correspondências e produtos, aplicativos de transporte e deliveries de alimentos.

Leia mais:

A apresentação de hoje foi apenas o primeiro passo em uma longa escadaria. Depois de passar pela Câmara, a administração municipal deve se reunir com a direção dos Correios, em Brasília, para solicitar Códigos de Endereçamento Postais (CEPs) a todas as ruas da cidade. Além disso, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) deve facilitar estudo de numeração de residências e prédios comerciais.

Conforme Pugliese, cada esquina receberá uma placa de sinalização com o nome das vias, sejam elas ruas ou avenidas. A previsão é de que mil placas sejam instaladas em Marabá quando da execução do projeto. Como se trata apenas de um projeto de lei, valores ainda não foram discutidos. O procurador-geral do município, Absolon Santos, também esteve na reunião.

Os vereadores elogiaram a iniciativa e propuseram uma expansão do projeto a outras áreas do município, como os núcleos Cidade Nova e São Félix e a zona rural. Na avaliação dos parlamentares, no início a mudança pode soar mal, mas com o tempo as pessoas vão se acostumando. Cabo Rodrigo, Priscila Veloso, Tiago Koch, Nonato Dourado (presidente da comissão) e Pedro Corrêa (presidente do Legislativo) solicitaram a palavra.

Ouvido pelo CORREIO, o superintendente de Desenvolvimento Urbano, Mancipor Lopes, argumenta que o desejo de se reformar a nomenclatura da Nova Marabá é antigo. Ainda segundo ele, já havia uma cobrança por parte do Ministério Público Estadual, da Agência Brasileira de Correios e Telégrafos e da própria comunidade local para que o problema na identificação dos endereços fosse resolvido.

SAIBA MAIS

O projeto da Nova Marabá foi concebido pelo urbanista Joaquim Guedes, da Faculdade de Arquitetura da USP. O município recebeu toda a planta via Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) com as nomenclaturas técnicas de Via Principal (VP), Via Especial (VE) e Via Secundária (VS), além das Folhas, que representam os bairros; as Quadras, que representam os quarteirões; e os lotes, que designam a numeração de cada terreno.

Só que, ao longo dos anos, nenhuma administração deu continuidade ao projeto habitacional. Os bairros e as ruas não foram nomeados naquela época, fazendo com que a nomenclatura técnica constante do planejamento do governo federal ficasse até os dias atuais. (Da Redação)

Comentários
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Conforme prometido previamente, a categoria dos músicos da noite de Marabá, que estão sem poder trabalhar há várias semanas, em…
Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

O relatório “Transparência das informações ambientais na Amazônia Legal: o acesso à informação e a disponibilização de dados públicos”, lançado…
MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir, nos dias 3 e 4 de maio, as inscrições para as bolsas remanescentes…
Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

A cultura paraense é marcada por forte influência indígena. A contribuição do povo mais antigo no solo brasileiro pode ser…
Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode…
MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

Entre os dias 10 e 21 de abril, o Movimento Sem Terra (MST) tem ações afirmativas programadas em torno da…