Correio de Carajás

Acusado pega 22 anos de prisão por morte em bar

Suênia Sá, promotora com 200 juris, foi enfática na sua argumentação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Graças à atuação incisiva e experiente do Ministério Público do Pará, por meio da promotora de Justiça Francisca Suênia Fernandes de Sá, o réu Gustavo Henrique Cruz da Silva teve sua condenação definida nesta sexta-feira (15) no Tribunal do Júri, em Parauapebas. Ele pegou nada menos que 22 anos de reclusão pelo assassinato do segurança Kalson Henrique Pereira em setembro de 2016, no bar onde o mesmo trabalhava. Gustavo responde, ainda, em quatro ações penais por tráfico de drogas.

O júri popular se deu ontem presidido pela juíza Adriana Karla Diniz Gomes da Costa, titular da 1ª Vara Criminal. Gustavo respondia pelo art. 121, 2, IV e VII, do Código Penal pelo assassinato e no delito do art. 121, 2, IV e VII c/c art. 14, II, também do CPB, pela tentativa de assassinato de Miraldo de Oliveira. A promotora Suênia não trabalha na Comarca, mas foi nomeada para representar o Ministério Público no ato pelo próprio procurador-geral de Justiça, devido a sua ampla experiência em mais de 200 juris.

ENTENDA

Leia mais:

O crime aconteceu na madrugada de 5 de setembro de 2016, em um boteco no Bairro Vila Rica, em Parauapebas. O policial militar Thiago Augusto Coutinho estava na casa noturna de folga, juntamente com um amigo e foi ao bar do local buscar bebidas, quando no meio do caminho encontrou Gustavo Silva, a quem reconheceu como traficante que havia prendido em outra ocasião. Este último, armado, tentou atirar contra Thiago e travou com ele uma luta corporal. A certo momento, se desvencilhou e conseguiu efetuar os disparos contra o policial sem atingi-lo, mas acertando outras duas pessoas no recinto: Kalson Henrique, segurança da casa noturna, e o senhor Miraldo. O primeiro morreu no local e o segundo, socorrido, sobreviveu.

Kalson Henrique, ao centro de verde, foi preso em flagrante e condenado

Uma guarnição da PM que passava pelo local percebeu a confusão e  chegou a tempo de efetuar a prisão em flagrante de Gustavo Henrique, agora condenado.

EMBATE

O júri, que durou apenas um dia, foi marcado por duro embate entre a promotora e o advogado do réu, Flavio Oliveira Moura, que para sustentar sua argumentação chegou a deitar no chão com um simulacro de arma para remontar a cena do incidente frente aos jurados.

Num segundo momento, frente a frente com Suênia, tentou argumentar o que aludiu como divergência sobre a tatuagem que tem o seu réu, mas prontamente foi retrucado pela experiente promotora que destacou que ele não podia criar uma argumentação de momento nesse sentido e se o quisesse fazer, deveria ter assim procedido na defesa prévia.

“Atuo com bravura e doçura em defesa da vida e da democracia”, disse Suênia Sá à reportagem, no único comentário que fez à imprensa sobre o momento mais tenso do embate. O CORREIO não conseguiu falar com o advogado Flávio Moura ao longo do dia para também comentar. (Da Redação)

 

Mais

Vítima de homicídio é encontrada em campo de futebol

Vítima de homicídio é encontrada em campo de futebol

A 15ª Seccional Urbana de Tucuruí ficará encarregada de investigar o assassinato de um homem identificado pelo nome de Josiel…
Operação policial no Jacarezinho deixa pelo menos 25 mortos

Operação policial no Jacarezinho deixa pelo menos 25 mortos

Uma operação da Polícia Civil do RJ contra o tráfico de drogas no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, deixou 25…
Trotes atrapalham as ações da polícia em Marabá

Trotes atrapalham as ações da polícia em Marabá

Todos os dias a Polícia Militar de Marabá atende diversas ligações falsas, os chamados trotes. Muitas das vezes, a equipe…
PRF apreende 105 toneladas de minério ilegal em caminhão na BR-222

PRF apreende 105 toneladas de minério ilegal em caminhão na BR-222

Um caminhão que transportava 105 toneladas de minério ilegal foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no sudeste do Pará.…
Foragido da justiça é linchado por populares da Folha 16 após esfaquear homem

Foragido da justiça é linchado por populares da Folha 16 após esfaquear homem

Por volta das 16 horas desta quarta-feira, 5, um homem foi esfaqueado na Folha 16, no bairro Nova Marabá. A…
Mulher mata o marido com golpes de faca no Bairro Araguaia

Mulher mata o marido com golpes de faca no Bairro Araguaia

Uma discussão de casal terminou em tragédia na noite desta quarta-feira (5), no bairro Araguaia, em Marabá. Após receber um…