'A Vida Invisível' é indicado do Brasil para tentar vaga no Oscar 2020
Cena do filme 'A vida invisível' — Foto: Divulgação
Ads

“A Vida Invisível” foi o filme indicado pelo Brasil para tentar uma vaga no Oscar 2020. Ele disputou com outros 11 concorrentes e tenta agora uma dos cinco indicações na categoria de Melhor Filme Internacional, antes chamada Filme em Língua Estrangeira.

Ads

Dirigido pelo cearense Karim Aïnouz, o filme narra a trajetória de duas irmãs cariocas nos anos 1950, com “sonhos soterrados pelo peso de uma sociedade machista”.

Fernanda Montenegro e Carol Duarte dividem o papel de Eurídice. O filme tem estreia prevista para novembro no Brasil e foi o vencedor da mostra Um Certo Olhar, do Festival de Cannes.

Baseado no romance de Martha Batalha, “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, a ideia era dar voz às mulheres, segundo o cineasta. Foi também uma forma de homenagear sua mãe, que o educou sozinha, e sua avó que viveu 108 anos.

Mais melodramático e com atuações que lembram as do teatro, “A vida invisível” teve como inspiração declarada as telenovelas brasileiras dos anos 1970.

Fernanda Montenegro em cena do filme 'A vida invisível', do diretor Karim Aïnouz — Foto: Divulgação/Bruno Machado
Fernanda Montenegro em cena do filme ‘A vida invisível’, do diretor Karim Aïnouz — Foto: Divulgação/Bruno Machado

‘Bacurau’ bem votado

Após quase duas horas de reunião na Cinemateca Brasileira, a comissão especial da Academia Brasileira de Cinema tomou a decisão após ficar dividida.

“Não foi consenso, mas todos gostamos do filme”, declarou Anna Muylaert, presidente da comissão. Segundo ela, o placar foi de 5 para “A vida invisível” contra 4 para “Bacurau”.

“Tomamos a decisão pensando nas chances do filme na campanha americana. É um dos maiores diretores do cinema brasileiro e tem influência no cinema americano, tem a Fernanda Montenegro, que já concorreu ao Oscar, e é um belíssimo filme”.

“A vida invisível” teve seus direitos de exibição comprados pela Amazon e tem produção da RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira (de “Me chame pelo seu nome” e “A Bruxa”).

“Praia do Futuro” (2014), “O céu de Suely” (2006) e “Madame Satã” (2002) estão entre os trabalhos anteriores de Aïnouz.

(Fonte:G1)

Ads