Correio de Carajás

A paixão do delegado de polícia pelo basquete

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
4 Visualizações

Antes de iniciar a entrevista, Marcelo Delgado, de 1,86 metro pediu para não relacionar sua profissão de delegado de Polícia Civil à atividade esportiva. Ele foi pego de surpresa no intervalo de um treino na semana passada, quando se preparava com sua equipe, o Dream Team, para participar do 1º Open de Basquete.

Educado como sempre, ele concedeu a entrevista e revelou que é amante do basquete, modalidade que pratica desde os 12 anos de díade (atualmente tem quase 40). Quando chegou a Marabá para trabalhar, acabou se “enturmando” com a galera que pratica basquete na cidade. “No basquete temos uma linguagem universal, e onde a gente chega é bem acolhido, isso facilitou muito, eu já tinha alguns amigos aqui, da época que passei por Parauapebas. Então, me enturmei rápido entrei no time, e a gente faz parte praticamente de uma segunda família”, conta, dizendo que nas horas de folga do trabalho policial, sempre que possível, ele dá uma esticada até o Ginásio Osorinho para jogar com a turma.

Natural do Mato Grosso, Marcelo diz que não chegou a jogar profissionalmente, mas teve atuação na Seleção Juvenil do Estado  em jogos estudantis brasileiros e jogou um ano no Círculo Militar do Paraná, também na fase juvenil. “Sempre gostei do basquete, nunca desisti do esporte porque eu acredito que ele é uma maneira da gente cuidar das nossas crianças, da juventude e mantê-las longe das drogas. Esse é o nosso objetivo com relação ao basquete em Marabá”.

Leia mais:

Questionado se pretende “viciar” os filhos no basquete, ele deu risada e revelou que o pequeno, de apenas dois anos de idade, deverá sim ter iniciação na modalidade, porque vem de uma família que tem tradição nessa modalidade. “Meu pai, que tinha 1,90 metro de latura, jogava, meus irmãos (somos três) todos homens acima de 1,80m, praticam basquete. Só minha esposa que está em outra área (voleibol).

Ao mesmo tempo em que treina com os colegas em Marabá, Marcelo se prepara para se unir à Seleção de Mato Grosso em novembro, para representar aquele estado no Master da categoria, entre os dias 10 a 18, em Maceió-AL. (Ulisses Pompeu)

Antes de iniciar a entrevista, Marcelo Delgado, de 1,86 metro pediu para não relacionar sua profissão de delegado de Polícia Civil à atividade esportiva. Ele foi pego de surpresa no intervalo de um treino na semana passada, quando se preparava com sua equipe, o Dream Team, para participar do 1º Open de Basquete.

Educado como sempre, ele concedeu a entrevista e revelou que é amante do basquete, modalidade que pratica desde os 12 anos de díade (atualmente tem quase 40). Quando chegou a Marabá para trabalhar, acabou se “enturmando” com a galera que pratica basquete na cidade. “No basquete temos uma linguagem universal, e onde a gente chega é bem acolhido, isso facilitou muito, eu já tinha alguns amigos aqui, da época que passei por Parauapebas. Então, me enturmei rápido entrei no time, e a gente faz parte praticamente de uma segunda família”, conta, dizendo que nas horas de folga do trabalho policial, sempre que possível, ele dá uma esticada até o Ginásio Osorinho para jogar com a turma.

Natural do Mato Grosso, Marcelo diz que não chegou a jogar profissionalmente, mas teve atuação na Seleção Juvenil do Estado  em jogos estudantis brasileiros e jogou um ano no Círculo Militar do Paraná, também na fase juvenil. “Sempre gostei do basquete, nunca desisti do esporte porque eu acredito que ele é uma maneira da gente cuidar das nossas crianças, da juventude e mantê-las longe das drogas. Esse é o nosso objetivo com relação ao basquete em Marabá”.

Questionado se pretende “viciar” os filhos no basquete, ele deu risada e revelou que o pequeno, de apenas dois anos de idade, deverá sim ter iniciação na modalidade, porque vem de uma família que tem tradição nessa modalidade. “Meu pai, que tinha 1,90 metro de latura, jogava, meus irmãos (somos três) todos homens acima de 1,80m, praticam basquete. Só minha esposa que está em outra área (voleibol).

Ao mesmo tempo em que treina com os colegas em Marabá, Marcelo se prepara para se unir à Seleção de Mato Grosso em novembro, para representar aquele estado no Master da categoria, entre os dias 10 a 18, em Maceió-AL. (Ulisses Pompeu)

Comentários

Mais

E o Águia? Será se classifica?

E o Águia? Será se classifica?

No dia da cerimônia de apresentação do elenco do Águia, eu questionei o técnico João Galvão sobre qual a estratégia…
Conmebol anuncia doação de 50 mil vacinas da Sinovac para jogadores

Conmebol anuncia doação de 50 mil vacinas da Sinovac para jogadores

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) disse que receberá 50 mil doses de vacinas contra covid-19 doadas pelo laboratório chinês…
Com seis brasileiros, Copa Sul-Americana começa no dia 20 de abril

Com seis brasileiros, Copa Sul-Americana começa no dia 20 de abril

Os seis times brasileiros classificados para a atual edição da Copa Sul-Americana ficaram sabendo nesta segunda-feira (12) as datas das…
Flamengo bate Palmeiras nos pênaltis e leva Supercopa do Brasil

Flamengo bate Palmeiras nos pênaltis e leva Supercopa do Brasil

Em jogo eletrizante, o atual campeão Brasileiro, Flamengo, venceu neste domingo (11) o atual campeão da Copa do Brasil, Palmeiras, pelo placar…
Remo entra no PES 2021 e torcedores comemoram

Remo entra no PES 2021 e torcedores comemoram

A quinta-feira, 8, não foi de ver o Remo apenas dentro de campo. No mundo virtual o clube entrou de…
Reforço do Águia fala em garantir calendário para esse ano

Reforço do Águia fala em garantir calendário para esse ano

Há cinco anos no Brasil, o meia paraguaio Eduardo Echeverría, que estava no ASA de Arapiraca (AL), já pisou no…