Correio de Carajás

Trio envolvido em assalto à casa de empresário é preso em Marabá

Foram presos nesta quarta-feira (3), na Marabá Pioneira, os assaltantes que fizeram o empresário Jhonattan Rechzinski, o Pitú, e sua família reféns por cerca de 40 minutos no último domingo (31). No total, seis homens foram apresentados na delegacia após uma ação deflagrada pela Polícia Civil e, entre eles, acusados de serem peças-chave de quadrilhas. Armas usadas no crime e o material roubado também foram apreendidos.

A ação ocorreu na região conhecida como PAC e tinha como alvo três homens por envolvimento com crime organizado, homicídios e tráfico de drogas. Segundo o superintendente de Polícia Civil, delegado Vinicius Cardoso, o foco era desmanchar grupos que tentavam se enraizar no município e região, além de inibir crimes de roubo que têm assolado a comunidade local.

Além das prisões, armas de fogo ilegais foram apreendidas, contribuindo para desarticular as ações violentas cometidas pelos grupos criminosos. Durante as buscas, objetos roubados da casa do dono de empresa de apostas esportivas e casas noturnas foram recuperados, incluindo valiosas joias, confirmando o envolvimento dos criminosos na ação.

Leia mais:

À reportagem deste CORREIO, o delegado ressaltou que a operação representa um avanço no combate à criminalidade na cidade. “Estamos agindo de forma contundente para reprimir organizações criminosas que tentam se instalar em nosso município, bem como para coibir o tráfico de drogas e reduzir os índices de homicídios”, disse.

O ASSALTO

Teve grande repercussão no domingo (1º) a ocorrência da invasão e assalto a mão armada à residência do empresário, que é muito conhecido na cidade por ser dono de empresa de apostas esportivas e de casas noturnas e por também operar com rifas online. Ele e a família ficaram sob a mira de armas de fogo, enquanto sete homens vasculharam a casa, de onde levaram dinheiro, joias e obrigaram o empresário a transferir somas via PIX. A polícia acredita que os bandidos conheciam a residência e a rotina dos moradores.

Pitú havia passado a manhã realizando uma ação beneficente com a distribuição de cestas básicas e ovos de páscoa para crianças em bairros carentes de Marabá, tudo documentado por ele mesmo em suas redes sociais, o que pode ter ajudado os bandidos a acompanharem a movimentação da vítima ao longo do dia. Ao final, ele voltou para casa no início da tarde, entrou normalmente e estava aguardando para almoçar.

Meia hora depois da chegada dele, os bandidos se aproximaram em um carro que passou algumas vezes na porta da casa, no Bairro Belo Horizonte. Depois disso, o grupo acessou a residência com muita facilidade, entrando pelo portão da garagem que teria sido aberto pelos bandidos com um aparelho que teria ‘haqueado’ o código do motor eletrônico.

Encapuzados, os invasores foram direto render Pitú e a família, mais alguns amigos deles que estavam na casa. Todos foram colocados no mesmo cômodo enquanto a casa era revistada. Até os quartos das crianças foram revirados. O alarme foi destruído.

Dos sete invasores, só dois portavam armas de fogo e um terceiro estava com um taser, comumente chamado de arma de choque.

O empresário não chegou a detalhar o que foi levado, mas a reportagem apurou que o cordão de ouro que ele costumava usar foi roubado, juntamente com outras joias e dinheiro em espécie. A vítima ainda foi obrigada a realizar PIX para contas indicadas pelos bandidos até a quantia máxima de R$ 26 mil. As regras de limitação de valores do banco não permitiram mais que isso. Celulares não foram levados, mas foram quebrados pelos invasores. Entre os assaltantes, havia pelo menos uma mulher.

Por falar em segurança, Pitú teria dispensado no mês passado uma empresa de segurança e monitoramento que o atendia.

Outro fator que pode ter atraído a cobiça dos assaltantes, além do empresário ser bem-sucedido na área de apostas online, é a recente atuação dele em ações de rifas online, via redes sociais, outra atividade que, dado o alto valor dos prêmios como motocicletas e iphones, também é chamativa.

Em um vídeo divulgado nas suas redes logo após o ocorrido, Pitú relatou que foram os piores 40 minutos da sua vida, sob mira de arma. Também tranquilizou os amigos de que já estava tudo bem e que não houve violência física. (Thays Araujo, com informações de Evangelista Rocha e Polícia Civil)