Correio de Carajás

Rio Tocantins fica a menos de um metro para estado de emergência

Embora a régua tenha marcado 9 metros e 10 centímetros acima do nível normal na manhã desta segunda-feira, a Defesa Civil tranquiliza a população com monitoramento de áreas, vistorias de campo e informação de comportas das barragens de Tucuruí e Estreito abertas.

Com as chuvas do final de semana, o Rio Tocantins subiu 64cm. A régua, na manhã desta segunda-feira (25), marcou 9 metros e 10 centímetros. Diante disso, a Defesa Civil de Marabá alerta para a subida do nível, mas, ao mesmo tempo, tranquiliza a população, destacando a vigilância das equipes e os preparativos para possíveis abrigos. O órgão está em contato com autoridades locais e monitora a situação para garantir a segurança da população.

A reportagem deste CORREIO esteve com o diretor da Defesa Civil de Marabá, Marcos Andrade, que explica que a marca de 9 metros e 10 centímetros já coloca a cidade em estado de alerta: “Atualmente, equipes da Defesa Civil estão em campo realizando vistorias nas áreas afetadas, como o São Félix, Taboquinha e Del Cobra, para avaliar a situação das famílias próximas às águas”, diz.

Leia mais:

Ele destaca que, segundo as informações de agências especializadas como o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e Eletronorte, o nível do rio deve se manter entre 9 metros e 40 centímetros e 9 metros e 60 centímetros. No entanto, ele ressaltou a imprevisibilidade do inverno amazônico, que pode trazer surpresas diárias, como chuvas inesperadas e o aumento do nível do rio, como foi o caso deste final de semana.

Quanto à possibilidade de acionar o exército, Marcos fala que ainda não é o momento, mas que a Defesa Civil está em constante monitoramento da situação, realizando reuniões com autoridades locais, bombeiros e comunidade. Ele mencionou também o contato com municípios vizinhos, como Imperatriz e Estreito, para avaliar o comportamento dos rios que impactam Marabá.

ENTENDA

Imperatriz e Estreito são dois municípios do Maranhão por meio dos quais a Defesa Civil faz um balizamento da cheia em Marabá, considerando que o rio Tocantins vem de lá. Em Estreito há uma barragem, como no município de Tucuruí: “Me foi comunicado hoje que as comportas estão abertas”.

ABRIGOS

Sobre os locais de abrigo em caso de necessidade, o diretor garante que já foram mapeados 22 possíveis locais, mas, até o momento, apenas 14 são considerados necessários. Ele ressalta a importância da comunicação com a população por meio de canais como WhatsApp e Instagram da Defesa Civil, além da colaboração com a imprensa para informar e mobilizar a comunidade em caso de emergência.

Em suma, a Defesa Civil afirma estar preparada para agir caso a situação se agrave, estando em alerta e alinhamento com as autoridades locais, estaduais e federais: “O objetivo principal é garantir a segurança e o bem-estar da população diante dos desafios impostos pelas cheias dos rios Tocantins e Itacaiunas”, finaliza.

(Thays Araujo e Chagas Filho)