Correio de Carajás

Operação descobre desmatamento ilegal e fecha madeireira no Pará

A Polícia Civil, por meio da Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa) e da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Flora (DRCCFLOR), realizou uma operação de combate ao desmatamento ilegal na zona rural do município de Tomé-Açu. A operação, denominada “Goupia”, ocorreu, na terça-feira (2), para inibir atividades de corte seletivo dentro de uma fazenda. Duas pessoas foram indiciadas por crimes ambientais e posse irregular de arma de fogo.

Durante a operação, os agentes encontraram um trator e 43 toras de madeiras de essências diversas como macaranduba, cupiúba, amarelão e melancieriro, indicando a exploração ilegal da área. Além disso, duas motosserras, armas de fogo, incluindo uma cartucheira calibre 32 e uma espingarda de repetição calibre 12, com munições, foram apreendidos no acampamento utilizado pelos trabalhadores do local.

“As investigações revelaram que a madeira extraída ilegalmente era destinada a uma serraria local, que operava sem as devidas licenças ambientais. A falta de documentação legal, como o Cadastro de Exploradores e Consumidores de Recursos Florestais (CEPROF), demonstrou que todas as madeiras no estabelecimento provinham de origem ilícita. Em consequência, a madeireira foi fechada, e os produtos florestais encontrados no local foram apreendidos”, relatou o delegado Dilermando Tavares, titular da Demapa.

Leia mais:

As pessoas envolvidos na operação ilegal de desmatamento foram detidas e conduzidas à delegacia para a formalização do procedimento policial.

“A operação “Goupia” representa mais uma ação contundente da Polícia Civil contra o desmatamento ilegal no Pará, reforçando o compromisso das autoridades locais na preservação do meio ambiente e na aplicação rigorosa da legislação ambiental”, avaliou o delegado-geral, Walter Resende.

(Agência Pará)