Correio de Carajás

Ao alegar legítima defesa, mulher responderá em liberdade por morte

O juiz Wanderson Ferreira Dias, respondendo pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Marabá, concedeu nesta segunda-feira (1º) liberdade provisória para Maria Cica Dias Carneiro, acusada de matar o companheiro, Joelson Barros Ribeiro, com um golpe de faca, no domingo (31).

O magistrado entendeu que, apesar da gravidade da acusação, há relatos nos autos policiais de que a vítima chegou em casa e começou a agredir a mulher, sendo que esta acabou dando uma facada na canela do homem com o intuito de se defender. Em seguida, ela ainda prestou socorro ao homem, chamando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Joelson foi encaminhado ao atendimento médico, mas morreu algumas horas depois. O juiz levou em consideração, também, que Maria não responde a outras ações penais.

Apesar de colocada em liberdade, a acusada continuará respondendo ao processo, uma vez que o juiz homologou o auto de prisão em flagrante contra ela. Também foram aplicadas medidas cautelares e Maria não poderá frequentar bares e boates, por exemplo, tampouco sair de Marabá ou mudar de endereço sem comunicar o Poder Judiciário.

Leia mais:

Como informado pelo Portal Correio de Carajás na manhã de segunda, Maria foi autuada em flagrante pela Polícia Civil, pelo crime de homicídio, após esfaquear o homem. A confusão teria começado com uma discussão entre os dois, que escalou para um episódio de violência.

Segundo apurou a Polícia Militar no local do crime, a acusada confirmou ter utilizado a arma branca contra a vítima e alegou  ter agido em legítima defesa após ser agredida por Joelson. O incidente aconteceu na casa da filha do casal. A esposa afirmou ter socorrido imediatamente Joelson após o ocorrido, mas às 19h foi informada de que ele não resistiu aos ferimentos.

O relatório policial confirma a presença da faca no local do crime, que foi apreendida como evidência. O caso segue sendo investigado.

(Thays Araujo, com informações da Polícia Civil)