Correio de Carajás

Ameaçou a companheira, agrediu sogro e vizinho e foi preso

Jorlando da Conceição foi apresentado na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), depois de ameaçar a sua companheira e agredir o sogro e o vizinho durante uma confusão generalizada que acabou com as vítimas no Hospital Municipal de Marabá (HMM). Ninguém se feriu gravemente.

Segundo a Polícia Militar, uma guarnição foi acionada por meio do Núcleo Integrado de Operações (NIOP), na última sexta-feira (15), para atender a uma ocorrência na Rua do Meio, próximo ao viaduto, no KM 7.

Ao chegarem no local, encontraram Luís, que estava ferido na orelha direita e ensanguentado, relatando ter sido agredido por seu genro, identificado como Jorlando, que ainda se encontrava nas proximidades. Segundo Luís, Jorlando estava ameaçando pessoas com uma faca.

Leia mais:

A equipe policial se deslocou até o endereço informado pela vítima, onde encontraram o acusado. Após confirmação por parte de Luís de que Jorlando havia sido o autor da agressão, foi dada voz de prisão ao acusado.

Vale ressaltar que devido ao estado em que foi encontrado, foi necessário o uso de força e o emprego de duas algemas para contê-lo e garantir a segurança de todos os envolvidos.

Posteriormente, a equipe conduziu Luís ao HMM para tratamento de sua lesão na orelha direita. Durante este período, outra vítima, identificada como Rogério Gomes de Souza, vizinho de Luís, relatou ter sido agredida por Jorlando ao tentar defendê-lo, sofrendo lesões na cabeça e no rosto.

Todos os envolvidos, incluindo as duas vítimas e o acusado, foram encaminhados à 21ª Seccional de Marabá. Durante os procedimentos, Luís mencionou que as agressões ocorreram devido às ameaças proferidas por Jorlando contra sua filha e expressou o desejo de representar criminalmente contra o agressor.

A companheira de Jorlando compareceu à Delegacia e confirmou as ameaças recebidas, manifestando o desejo de prosseguir com as medidas legais contra ele. A PM afirma que Jorlando estava visivelmente alterado, possivelmente sob efeito de substâncias entorpecentes ou álcool.

Apesar das buscas, nenhuma arma branca, de fogo ou qualquer objeto utilizado para as agressões foi encontrado com Jorlando. A reportagem não teve acesso ao depoimento do suspeito e ao que alegou em sua defesa. (Thays Araujo, com informações da Polícia Civil)