Correio de Carajás

Unifesspa estabelece regras para festa estudantil

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Após relatos cada vez mais frequentes de brigas, agressões e até roubos em festas promovidas por estudantes da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) nas unidades do Campus de Marabá, a reitoria promoveu uma reunião para discutir regras para a realização dos eventos no âmbito da universidade. Além do reitor Maurílio Monteiro, participaram representantes dos estudantes e dos técnicos administrativos.

No início do mês o portal Correio de Carajás divulgou o relato de um estudante agredido por outras cinco pessoas durante uma festa na Unidade I. No último final de semana, outros relatos feitos em redes sociais apontaram novas agressões e até crimes cometidos durante um evento na Unidade II.

Na reunião, de acordo com a assessoria de comunicação da Unifesspa, foram definidas algumas medidas para evitar incidentes em eventos, que passam a valer já na festa de encerramento do Encontro Regional das Agrárias (ERA), que acontece amanhã (sexta). Ainda de acordo com a ascom, os responsáveis pela organização se comprometeram a controlar a entrada de pessoas, evitando a presença de adolescentes, barrar a entrada de garrafas de vidro ter equipe de segurança para intervir, caso ocorra conflito, além de responsáveis pela limpeza do Campus.

Leia mais:

Além disso, os estudantes terão que apresentar para a Administração Superior a cópia do alvará de licença expedido pela Polícia Civil para realização formal da festa. No caso do estudante agredido que virou notícia, à época, a coordenação geral do Diretório Central dos Estudantes enviou nota ao Correio de Carajás, informando que a Universidade é local público, por isso não é proibida a entrada de pessoas que não sejam estudantes.

Destacou que o DCE tem conhecimento sobre as diretrizes das festas da universidade para festas, tais quais a não utilização de garrafas de vidro, a preservação do local e finalização às 03h30, além das condicionantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA) que inclui a coleta correta do lixo descartado na festa e limites sobre o som.

A nota acrescentou que, naquela festa, devido a demanda de serviços empregados ao diretório e o número reduzido de discentes que contribuem com a execução de todas as tarefas, não foi possível solicitar no prazo correto o documento de autorização do espaço para realização do evento.

Repudiava, também, a agressão sofrida pelo estudante e o assédio contra as mulheres que estavam em companhia dele e afirmava que os integrantes do DCE interviram na briga, colocaram o agressor para fora, interromperam a festa, ligaram para a polícia e acolheram as vítimas. Por fim, a nota afirma que o DCE sabe dos problemas que podem ocorrer pela falta de licenças para as festas e se compromete a evitar novos problemas.

“Afirmamos que na realização dos próximos eventos tomaremos cuidado EXTREMO com a segurança, a entrada de garrafas de vidros, assédios sexuais e demais ocorrências que são constantes em qualquer festa”. (Luciana Marschall)

 

 

Após relatos cada vez mais frequentes de brigas, agressões e até roubos em festas promovidas por estudantes da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) nas unidades do Campus de Marabá, a reitoria promoveu uma reunião para discutir regras para a realização dos eventos no âmbito da universidade. Além do reitor Maurílio Monteiro, participaram representantes dos estudantes e dos técnicos administrativos.

No início do mês o portal Correio de Carajás divulgou o relato de um estudante agredido por outras cinco pessoas durante uma festa na Unidade I. No último final de semana, outros relatos feitos em redes sociais apontaram novas agressões e até crimes cometidos durante um evento na Unidade II.

Na reunião, de acordo com a assessoria de comunicação da Unifesspa, foram definidas algumas medidas para evitar incidentes em eventos, que passam a valer já na festa de encerramento do Encontro Regional das Agrárias (ERA), que acontece amanhã (sexta). Ainda de acordo com a ascom, os responsáveis pela organização se comprometeram a controlar a entrada de pessoas, evitando a presença de adolescentes, barrar a entrada de garrafas de vidro ter equipe de segurança para intervir, caso ocorra conflito, além de responsáveis pela limpeza do Campus.

Além disso, os estudantes terão que apresentar para a Administração Superior a cópia do alvará de licença expedido pela Polícia Civil para realização formal da festa. No caso do estudante agredido que virou notícia, à época, a coordenação geral do Diretório Central dos Estudantes enviou nota ao Correio de Carajás, informando que a Universidade é local público, por isso não é proibida a entrada de pessoas que não sejam estudantes.

Destacou que o DCE tem conhecimento sobre as diretrizes das festas da universidade para festas, tais quais a não utilização de garrafas de vidro, a preservação do local e finalização às 03h30, além das condicionantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA) que inclui a coleta correta do lixo descartado na festa e limites sobre o som.

A nota acrescentou que, naquela festa, devido a demanda de serviços empregados ao diretório e o número reduzido de discentes que contribuem com a execução de todas as tarefas, não foi possível solicitar no prazo correto o documento de autorização do espaço para realização do evento.

Repudiava, também, a agressão sofrida pelo estudante e o assédio contra as mulheres que estavam em companhia dele e afirmava que os integrantes do DCE interviram na briga, colocaram o agressor para fora, interromperam a festa, ligaram para a polícia e acolheram as vítimas. Por fim, a nota afirma que o DCE sabe dos problemas que podem ocorrer pela falta de licenças para as festas e se compromete a evitar novos problemas.

“Afirmamos que na realização dos próximos eventos tomaremos cuidado EXTREMO com a segurança, a entrada de garrafas de vidros, assédios sexuais e demais ocorrências que são constantes em qualquer festa”. (Luciana Marschall)

 

 

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…
Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no final do mês passado, ratifica o poder de…