Correio de Carajás

Retirada de ambulante de praça gera polêmica

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Nas redes sociais, dezenas de pessoas se pronunciaram esta semana sobre a retirada de alguns ambulantes de alguns passeios da cidade por parte da equipe do Departamento de Postura da Prefeitura de Marabá. Entre eles,

E o vereador Marcelo Alves (PT) engrossou o coro pelo Facebook: “Em Marabá, temos milhares de famílias desempregadas, e agora a Prefeitura está expulsando as famílias que estão ganhando o pão como ambulantes. O pior é a forma que é feita, com todo aparato repressivo e na calada da noite.

O vereador Marcelo Alves não comunga dessa ideia, o Povo não tem emprego, e precisa ser respeitado. A Prefeitura tem que fomentar a geração de renda no município, e não expulsar quem está trabalhando para colocar o pão na mesa da sua família”.

Leia mais:

Mas toda história tem sempre dois lados. E a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Marabá enviou nota à Redação fazendo as seguintes explicações:

“O Departamento de Postura da Prefeitura de Marabá está agindo em toda cidade para coibir o posicionamento ilegal de quiosques fixados em praças públicas de forma irregular, assim como placas colocadas sem autorização do poder público e comércios ilegais funcionando sem alvará e sem pagamento dos devidos tributos que autorizam a operação.

O que está se fazendo é a regularização efetiva e a readequação de locais visando o cumprimento do Código de Postura e o livre acesso do cidadão às praças e locais antes tomados por comércios ilegais.

No caso específico relatado por este respeitado veículo de comunicação, certamente adveio de uma informação equivocada e sem a devida apuração dos fatos. Vamos a eles: Conforme documento em anexo, no dia 2 de junho de 2017, o Departamento de Postura notificou o quiosque que se encontrava de forma irregular, fixado na Avenida Getúlio Vargas, para que regularizasse a situação, afim de permanecer ou alterar o local de operação do mesmo. O notificado não cumpriu a determinação de 30 dias para regularização. Novamente, segundo documento em anexo, no dia 2 de agosto de 2017, houve uma nova notificação, agora dando conta sobre a retirada do mesmo.

Como nenhuma das notificações foi acatada, o Departamento de Postura, em cumprimento da lei, fez a retirada do comércio ilegal daquele ponto. Além disso, foram retiradas das ruas, as ferragens de uma barraca de feira, dispostas numa via pública e que já haviam causado um acidente de moto, assim como também foi desmontado um ponto de taxi já desativado há alguns anos. Os objetos retirados estão à disposição na Secretaria de Obras.

Com relação ao que foi explicitado, à prefeitura sempre esteve à disposição para dirimir quaisquer apurações de fatos relacionados à conduta dos seus órgãos. A prefeitura está amparada no Código de Postura do município, que vale para todos os cidadãos igualmente. Lei é para ser cumprida”. (Ulisses Pompeu)

Nas redes sociais, dezenas de pessoas se pronunciaram esta semana sobre a retirada de alguns ambulantes de alguns passeios da cidade por parte da equipe do Departamento de Postura da Prefeitura de Marabá. Entre eles,

E o vereador Marcelo Alves (PT) engrossou o coro pelo Facebook: “Em Marabá, temos milhares de famílias desempregadas, e agora a Prefeitura está expulsando as famílias que estão ganhando o pão como ambulantes. O pior é a forma que é feita, com todo aparato repressivo e na calada da noite.

O vereador Marcelo Alves não comunga dessa ideia, o Povo não tem emprego, e precisa ser respeitado. A Prefeitura tem que fomentar a geração de renda no município, e não expulsar quem está trabalhando para colocar o pão na mesa da sua família”.

Mas toda história tem sempre dois lados. E a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Marabá enviou nota à Redação fazendo as seguintes explicações:

“O Departamento de Postura da Prefeitura de Marabá está agindo em toda cidade para coibir o posicionamento ilegal de quiosques fixados em praças públicas de forma irregular, assim como placas colocadas sem autorização do poder público e comércios ilegais funcionando sem alvará e sem pagamento dos devidos tributos que autorizam a operação.

O que está se fazendo é a regularização efetiva e a readequação de locais visando o cumprimento do Código de Postura e o livre acesso do cidadão às praças e locais antes tomados por comércios ilegais.

No caso específico relatado por este respeitado veículo de comunicação, certamente adveio de uma informação equivocada e sem a devida apuração dos fatos. Vamos a eles: Conforme documento em anexo, no dia 2 de junho de 2017, o Departamento de Postura notificou o quiosque que se encontrava de forma irregular, fixado na Avenida Getúlio Vargas, para que regularizasse a situação, afim de permanecer ou alterar o local de operação do mesmo. O notificado não cumpriu a determinação de 30 dias para regularização. Novamente, segundo documento em anexo, no dia 2 de agosto de 2017, houve uma nova notificação, agora dando conta sobre a retirada do mesmo.

Como nenhuma das notificações foi acatada, o Departamento de Postura, em cumprimento da lei, fez a retirada do comércio ilegal daquele ponto. Além disso, foram retiradas das ruas, as ferragens de uma barraca de feira, dispostas numa via pública e que já haviam causado um acidente de moto, assim como também foi desmontado um ponto de taxi já desativado há alguns anos. Os objetos retirados estão à disposição na Secretaria de Obras.

Com relação ao que foi explicitado, à prefeitura sempre esteve à disposição para dirimir quaisquer apurações de fatos relacionados à conduta dos seus órgãos. A prefeitura está amparada no Código de Postura do município, que vale para todos os cidadãos igualmente. Lei é para ser cumprida”. (Ulisses Pompeu)

Comentários

Mais

MPs recomendam proteção de indígenas contra covid-19 no sudeste do PA

MPs recomendam proteção de indígenas contra covid-19 no sudeste do PA

Em recomendações conjuntas, o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) requisitaram uma série…
A arte pra “rir, chorar e refletir” de Mandie Gil

A arte pra “rir, chorar e refletir” de Mandie Gil

Artes, maquiagens, receitas, discussões político-sociais, tutoriais, dicas, gatos…. tem um pouco de muito no perfil de Amanda Gil Cardoso de…
Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real

O salário mínimo em 2022 será de R$ 1.147 e não terá aumento acima da inflação, anunciou o Ministério da…
Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (15) aumentos de R$ 0,10 (3,7%) no preço do diesel e de R$ 0,05 (1,9%) no…
Linha Verde lança campanha “Abril Laranja”

Linha Verde lança campanha “Abril Laranja”

O programa Linha Verde aderiu à campanha “Abril Laranja”, que possui como objetivo conscientizar a população e prevenir o crime…
Sespa reforça necessidade de tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19

Sespa reforça necessidade de tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19

Para que a proteção à Covid-19 proporcionada pelas vacinas funcione como o previsto é necessário tomar as duas doses, tanto…