Água: Fórum apresenta alternativas

Redação Por: Redação

Cultura Destaques

1604 Visualizações

Publicado em 27/03/2018 08:48h

Água: Fórum apresenta alternativas

Uma comitiva do Rios de Encontro – projeto eco-cultural e socioeducativo enraizado na comunidade Cabelo Seco, Marabá Pioneira – acaba de retornar do Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama) realizado em Brasília, onde teve participação de destaque. Sob a coordenação de gestores do projeto, três jovens artistas do Coletivo AfroRaiz participaram, ao longo de três dias, de uma série de reuniões da Rede Brasileira de Arteducadores (Abra) e Aliança dos Rios Pan-Amazônicos, fomentando discussões e propondo reflexões sobre os rumos da sustentabilidade para Marabá e a Amazônia.

Manoela Souza e Dan Baron, dois dos principais gestores do projeto Rios de Encontro, coordenaram a Roda Bem Viver da Rede Abra, permitindo a troca entre arte-educadores das cinco regiões do Brasil. A conversa mapeou desafios e soluções éticas numa conjuntura de conflito e cortes de recursos para projetos e iniciativas sociais.

"Cada projeto relatou a pressão que mineradoras como Vale, BHP Billington e Samarco [todas do mesmo grupo] fazem para promover a mineração predatório e sem compromisso com as comunidades locais”, disse. "Discutimos como resistir para não respaldar os responsáveis pelo crime ambiental que praticamente acabou com a vida no Rio Doce, em 2015”, reiterou.

Outras duas jovens integrantes do Rios de Encontro, Camylla Alves e Elisa Neves, refletiram sobre os desafios de sustentar um projeto ao longo de 10 anos, diante da pobreza regional e a pressão de se calar em relação aos crimes ambientais. “Foi um momento que causou impacto devido a maturidade e lucidez com que elas apresentaram suas reflexões sobre questões tão delicadas e que afetam a comunidade onde nasceram", avaliou Dan Baron.

Em duas ocasiões diferentes, os integrante do Coletivo AfroRaiz se apresentaram com performances de dança e percussão, enquanto a companhia de dança AfroMundi apresentava o espetáculo “Nascente em chamas” era aplaudida de pé por uma plateia formada de cidadãos vindos de mais de 120 países.

"Nossos parceiros também se destacaram”, disse Dan Baron, citando colaboradores do projeto em outros estados do país, como Luis Carlos, da PM baiana, Gian Borba, Sol Bueno e Gabriela Machado (MG). “Todos por sua incontestável qualidade artística”, ressaltou. “Realmente, foi uma noite inesquecível que marcou nossa posição em defesa da água como um bem e direito de todos e que não pode ser privatizada", afirmou Dan.

Bioma

Na roda pan-amazônica, vídeos produzidos pelo jovem Rerivaldo Mendes, da Rabetas Vídeos, ilustraram a proposta do projeto Rios de Encontro de valorizar a vocação da comunidade em sensibilizar e mobilizar a sociedade global, reafirmando a defesa do bioma amazônico como principal condição para a sustentabilidade do planeta. "Fomos o único projeto que foi além da denúncia e apontou para uma futura formação coletiva pelo bem viver a que todos temos direito", frisa Dan Baron.

Durante as rodas da Abra, os representantes do Rios de Encontro elaboraram a proposta do II Fórum Bem Viver e interagiram com projetos eco-sociais em Brasília. O integrantes do projeto Águas da Micro-bácia Serrinha do Paranoá relataram como estão formando verdadeiros 'guardiões das nascentes' usando recursos do GPS do celular.

A Fábrica Solar Social, por sua vez, demonstrou a produção de placas solares comunitárias. Ambos foram convidados para a participar do projeto Redes de Criatividade, que realizará o II Fórum Bem Viver na cidade de Moeda (MG), entre os dias 2 e 5 de novembro deste ano. "Ficamos encantadas em aprender como é simples produzir placas [de energia] comunitárias. Imagina um governo abraçando isso como um projeto nacional de sustentabilidade!", ressaltou Elisa Neves.

Ao final do Fórum Alternativo Mundial da Água, a comitiva do projeto Rios de Encontro assinou, juntamente com movimentos sociais do Brasil e do mundo, a Carta do Fama, que será enviada a entidades e governos em todo o mundo, exigindo o engajamento global e responsável em defesa da água.

Serviço: Mais informações sobre as iniciativas do Projeto Rios de Encontro estão disponíveis por meio do WhatsApp (91) 98842 0521.  

 (Divulgação)

 

 

Fotos: Arquivo/Rios de Encontro

 

Comentários

Deixa seu comentário abaixo sobre esta notícia: