Como a sessão de ontem, terça-feira (26), foi encerrada sem a votação de projetos que estavam em pauta, a Câmara Municipal de Parauapebas (CMP) realiza amanhã, quinta-feira (28), uma sessão extra para a votação desses projetos, alguns de interesse do Executivo. No entanto, não estão inclusas na pauta as matérias de interesse dos professores, que fizeram protesto em Plenário exigindo a apreciação dos projetos, sendo um dos fatores que obrigou o presidente da Câmara, Elias Ferreira (PSB), a encerrar a sessão.

FUTURO POSTAGEM
ALICERCE

Elias explicou que as matérias não tinham entrando em pauta porque ainda estão em tramitação nas comissões afins, mas que devem ser incluídas na pauta da sessão da próxima terça-feira. Os professores, no entanto, com apitos e vaias, saíram do plenário gritando que queriam uma sessão extra para votar os projetos, um deles que autoriza o rateio da verba do precatório do antigo Fundefe, de mais R$ 85 milhões, que já está nos caixas da prefeitura, entre a categoria.

Para a sessão desta quinta-feira está incluído na pauta o Projeto de Lei nº 27/2017, de autoria do vereador José Marcelo (PSC), que dispõe sobre a alteração do § 1º do Art. 4º da Lei nº 4.244/2002, modificado com a nova redação dada pelo Art. 6º da Lei nº 4.576, de 22/08/2014; projeto de Lei nº 31/2017, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a conceder títulos definitivos de terrenos urbanos; Projeto de Lei nº 38/2017, de autoria do Poder Executivo, que altera a Lei Municipal nº 4.420, de 24 de setembro de 2010, e institui o Programa Empresa Cidadã, criado pela Lei Federal nº 11.770/2008; e Projeto de Lei nº 45/2017, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a emissão de alvará de licença para localização e funcionamento aos estabelecimentos comerciais que funcionam nas áreas dos loteamentos residenciais Ipiranga e Tropical. (Tina Santos)

Como a sessão de ontem, terça-feira (26), foi encerrada sem a votação de projetos que estavam em pauta, a Câmara Municipal de Parauapebas (CMP) realiza amanhã, quinta-feira (28), uma sessão extra para a votação desses projetos, alguns de interesse do Executivo. No entanto, não estão inclusas na pauta as matérias de interesse dos professores, que fizeram protesto em Plenário exigindo a apreciação dos projetos, sendo um dos fatores que obrigou o presidente da Câmara, Elias Ferreira (PSB), a encerrar a sessão.

Elias explicou que as matérias não tinham entrando em pauta porque ainda estão em tramitação nas comissões afins, mas que devem ser incluídas na pauta da sessão da próxima terça-feira. Os professores, no entanto, com apitos e vaias, saíram do plenário gritando que queriam uma sessão extra para votar os projetos, um deles que autoriza o rateio da verba do precatório do antigo Fundefe, de mais R$ 85 milhões, que já está nos caixas da prefeitura, entre a categoria.

Para a sessão desta quinta-feira está incluído na pauta o Projeto de Lei nº 27/2017, de autoria do vereador José Marcelo (PSC), que dispõe sobre a alteração do § 1º do Art. 4º da Lei nº 4.244/2002, modificado com a nova redação dada pelo Art. 6º da Lei nº 4.576, de 22/08/2014; projeto de Lei nº 31/2017, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a conceder títulos definitivos de terrenos urbanos; Projeto de Lei nº 38/2017, de autoria do Poder Executivo, que altera a Lei Municipal nº 4.420, de 24 de setembro de 2010, e institui o Programa Empresa Cidadã, criado pela Lei Federal nº 11.770/2008; e Projeto de Lei nº 45/2017, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a emissão de alvará de licença para localização e funcionamento aos estabelecimentos comerciais que funcionam nas áreas dos loteamentos residenciais Ipiranga e Tropical. (Tina Santos)

TH SITES HORIZONTAL
FUTURO HORIZONTAL
DEPNEUS
RADIO CORREIO HORIZONTAL
ROMANCE FAVORITA