Mais um processo contra o ex-policial militar Elvis Fernandes da Silva, denunciado pelo Ministério Público por suposto envolvimento em grupo de extermínio atuando em Itupiranga, foi desaforado ontem, segunda-feira (14), para a Comarca de Belém, onde irá acontecer o Tribunal do Júri. Ele responde a ação penal por tentativa de homicídio contra Wellington dos Santos Silva.

ALICERCE
FUTURO POSTAGEM

Há um mês a Seção de Direito Penal do Tribunal de Justiça do Pará também decidiu desaforar a sessão pelo homicídio de Ivanilson Santos Fontes. Elvis ainda responde – junto de outros oito homens – pelo homicídio do conselheiro tutelar Rondinele Salomão Maracaípe, ocorrido em janeiro do ano passado, todos em Itupiranga.

No caso analisado nesta semana, o desaforamento foi requerido pelo Ministério Público, sob o argumento de possível falta de imparcialidade do Conselho de Sentença, formado pela sociedade, em Itupiranga.

O órgão sustentou que o réu – que já integrou a Polícia Militar – responde a vários processos criminais em Itupiranga, além de ser apontado como membro de grupo de extermínio, o que pode causar temor nas pessoas que irão atuar como jurados, podendo influenciar no resultado do julgamento, caso este seja mantido no município.

Além do pedido da promotoria, o Juízo da Comarca de Itupiranga também se manifestou favorável à transferência da sede de julgamento. Elvis participou, em março, de audiência do caso do homicídio do conselheiro tutelar. Além dos réus, foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e 22 de defesa.

Em novembro, sete policiais militares foram apontados como suspeitos de participação no caso e uma operação foi desencadeada pelo Ministério Público do Estado do Pará e a Corregedoria da Polícia Militar para cumprimento dos nove mandados de prisão preventiva. Dentre os alvos dos mandados, três já estavam presos e, dentre estes, Elvis Fernandes da Silva. (Luciana Marschall)

 

Mais um processo contra o ex-policial militar Elvis Fernandes da Silva, denunciado pelo Ministério Público por suposto envolvimento em grupo de extermínio atuando em Itupiranga, foi desaforado ontem, segunda-feira (14), para a Comarca de Belém, onde irá acontecer o Tribunal do Júri. Ele responde a ação penal por tentativa de homicídio contra Wellington dos Santos Silva.

Há um mês a Seção de Direito Penal do Tribunal de Justiça do Pará também decidiu desaforar a sessão pelo homicídio de Ivanilson Santos Fontes. Elvis ainda responde – junto de outros oito homens – pelo homicídio do conselheiro tutelar Rondinele Salomão Maracaípe, ocorrido em janeiro do ano passado, todos em Itupiranga.

No caso analisado nesta semana, o desaforamento foi requerido pelo Ministério Público, sob o argumento de possível falta de imparcialidade do Conselho de Sentença, formado pela sociedade, em Itupiranga.

O órgão sustentou que o réu – que já integrou a Polícia Militar – responde a vários processos criminais em Itupiranga, além de ser apontado como membro de grupo de extermínio, o que pode causar temor nas pessoas que irão atuar como jurados, podendo influenciar no resultado do julgamento, caso este seja mantido no município.

Além do pedido da promotoria, o Juízo da Comarca de Itupiranga também se manifestou favorável à transferência da sede de julgamento. Elvis participou, em março, de audiência do caso do homicídio do conselheiro tutelar. Além dos réus, foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e 22 de defesa.

Em novembro, sete policiais militares foram apontados como suspeitos de participação no caso e uma operação foi desencadeada pelo Ministério Público do Estado do Pará e a Corregedoria da Polícia Militar para cumprimento dos nove mandados de prisão preventiva. Dentre os alvos dos mandados, três já estavam presos e, dentre estes, Elvis Fernandes da Silva. (Luciana Marschall)

 

TH SITES HORIZONTAL
RADIO CORREIO HORIZONTAL
FUTURO HORIZONTAL
DEPNEUS
ROMANCE FAVORITA