Correio de Carajás

HR recebe os primeiros estagiários de Medicina

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

No primeiro dia de estágio no Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, o estudante Jorge Augusto Macedo, de 21 anos, não escondeu a expectativa do novo desafio. Embora conheça a estrutura hospitalar desde 2015, quando começou a participar das visitas técnicas na unidade, o programa possibilitará novos conhecimentos ao universitário que, junto com outros estudantes do nono semestre de Medicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa), participará do atendimento a pacientes nas áreas de Clínica Médica, Cirurgia Geral e Pediatria.

”Minhas expectativas são as melhores. Aqui, vamos massificar o conhecimento que recebemos em sala de aula e por meio dos livros. Vamos ter um contato maior com o paciente, com a gestão do hospital, e ter uma imersão maior na rotina do atendimento em saúde”, contou o estudante.

Os primeiros nove participantes do programa foram recebidos neste mês, no Hospital Regional de Marabá. No primeiro dia, eles passaram pela integração acadêmica, momento em que foram orientados sobre as normas e rotinas do hospital. Até dezembro, 19 estudantes participarão do estágio obrigatório na unidade. Eles serão supervisionados por médicos no atendimento ambulatorial, avaliação de exames e estudos de casos, dentre outras atividades.

Leia mais:

Convênio

O programa é resultado de um convênio entre o hospital e a Uepa, assinado em outubro de 2016. Segundo o diretor-geral da unidade, Valdemir Girato, a iniciativa representa um ganho significativo para a região. ”Nesta semana demos as boas-vindas a estudantes de Medicina, mas, futuramente, alunos de outros cursos da área da Saúde participarão do programa. Aliado à criação de um Centro de Ensino e Pesquisa, já previsto na obra de ampliação da unidade, este é um passo importante para tornar a instituição um hospital-escola, algo que beneficia a população e os profissionais da região”, argumentou o gestor.

Para o coordenador-adjunto do curso de Medicina da Uepa, David Tozetto, a parceria é importante para que, já perto de concluírem a primeira etapa do curso, os alunos definam a especialidade que vão atuar. ”O estudante decide por uma área se vivenciar a especialidade na prática, porque verá do que gosta mais. Além disso, o aluno aprende a Medicina no campo prático. E o Hospital Regional é um excelente campo de trabalho para isso”, afirmou o cardiologista.

Visitas técnicas

Paralelo ao estágio, estudantes do oitavo semestre de Medicina, que participarão do programa somente em 2018, terão contato com a rotina da unidade a partir das visitas técnicas. Esses encontros são organizados pelo hospital desde 2015 e acontecem todos os meses.

A atividade contribui para a formação dos acadêmicos, que têm a oportunidade de conhecer a estrutura hospitalar e de discutir com especialistas casos reais de pacientes atendidos na unidade.

O diretor Técnico do HRSP, Cassiano Barbosa, explica a diferença entre as duas atividades. ”Na visita técnica, os estudantes apenas vêm para conhecer. Não podem lidar com o paciente. Com o estágio, eles terão um contato mais próximo com o usuário, sempre acompanhados por um médico-professor. Vão ajudar a prescrever, evoluir prontuário e a atender. O estágio é a base do conhecimento prático”, disse o urologista. (Aretha Fernandes – Pró-Saúde)

No primeiro dia de estágio no Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, o estudante Jorge Augusto Macedo, de 21 anos, não escondeu a expectativa do novo desafio. Embora conheça a estrutura hospitalar desde 2015, quando começou a participar das visitas técnicas na unidade, o programa possibilitará novos conhecimentos ao universitário que, junto com outros estudantes do nono semestre de Medicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa), participará do atendimento a pacientes nas áreas de Clínica Médica, Cirurgia Geral e Pediatria.

”Minhas expectativas são as melhores. Aqui, vamos massificar o conhecimento que recebemos em sala de aula e por meio dos livros. Vamos ter um contato maior com o paciente, com a gestão do hospital, e ter uma imersão maior na rotina do atendimento em saúde”, contou o estudante.

Os primeiros nove participantes do programa foram recebidos neste mês, no Hospital Regional de Marabá. No primeiro dia, eles passaram pela integração acadêmica, momento em que foram orientados sobre as normas e rotinas do hospital. Até dezembro, 19 estudantes participarão do estágio obrigatório na unidade. Eles serão supervisionados por médicos no atendimento ambulatorial, avaliação de exames e estudos de casos, dentre outras atividades.

Convênio

O programa é resultado de um convênio entre o hospital e a Uepa, assinado em outubro de 2016. Segundo o diretor-geral da unidade, Valdemir Girato, a iniciativa representa um ganho significativo para a região. ”Nesta semana demos as boas-vindas a estudantes de Medicina, mas, futuramente, alunos de outros cursos da área da Saúde participarão do programa. Aliado à criação de um Centro de Ensino e Pesquisa, já previsto na obra de ampliação da unidade, este é um passo importante para tornar a instituição um hospital-escola, algo que beneficia a população e os profissionais da região”, argumentou o gestor.

Para o coordenador-adjunto do curso de Medicina da Uepa, David Tozetto, a parceria é importante para que, já perto de concluírem a primeira etapa do curso, os alunos definam a especialidade que vão atuar. ”O estudante decide por uma área se vivenciar a especialidade na prática, porque verá do que gosta mais. Além disso, o aluno aprende a Medicina no campo prático. E o Hospital Regional é um excelente campo de trabalho para isso”, afirmou o cardiologista.

Visitas técnicas

Paralelo ao estágio, estudantes do oitavo semestre de Medicina, que participarão do programa somente em 2018, terão contato com a rotina da unidade a partir das visitas técnicas. Esses encontros são organizados pelo hospital desde 2015 e acontecem todos os meses.

A atividade contribui para a formação dos acadêmicos, que têm a oportunidade de conhecer a estrutura hospitalar e de discutir com especialistas casos reais de pacientes atendidos na unidade.

O diretor Técnico do HRSP, Cassiano Barbosa, explica a diferença entre as duas atividades. ”Na visita técnica, os estudantes apenas vêm para conhecer. Não podem lidar com o paciente. Com o estágio, eles terão um contato mais próximo com o usuário, sempre acompanhados por um médico-professor. Vão ajudar a prescrever, evoluir prontuário e a atender. O estágio é a base do conhecimento prático”, disse o urologista. (Aretha Fernandes – Pró-Saúde)

Comentários

Mais

Inscrições para Programa de Estágio foram prorrogadas até dia 21

Inscrições para Programa de Estágio foram prorrogadas até dia 21

O Grupo Equatorial Energia prorrogou até esta quarta-feira, dia 21, as inscrições para o processo seletivo do seu Programa de…
Mulher é atacada por dois pitbulls em Conceição do Araguaia

Mulher é atacada por dois pitbulls em Conceição do Araguaia

Uma mulher foi atacada por dois cachorros da raça pitbull em Conceição do Araguaia, no sul do Estado. O fato…
Políticas públicas garantem defesa de direitos dos Povos Indígenas no Pará

Políticas públicas garantem defesa de direitos dos Povos Indígenas no Pará

O técnico agrícola Raimundo Delival é extensionista rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) há…
Média de mortes em 2020 não foi menor que em 2019

Média de mortes em 2020 não foi menor que em 2019

Postagem do cantor Roger Moreira no Twitter usa dados antigos e incompletos de mortes por covid-19 no Brasil. Print do…
Casa da Cultura lança oficina virtual e gratuita de grafismo indígena

Casa da Cultura lança oficina virtual e gratuita de grafismo indígena

No Dia do Índio é comum as crianças chegarem da escola com o rosto pintado e um cocar na cabeça.…
Pará atinge o segundo lugar no ranking nacional de vacinação contra Covid-19

Pará atinge o segundo lugar no ranking nacional de vacinação contra Covid-19

O Pará já é o segundo estado que mais aplicou doses de vacinas contra a Covid-19 entregues pelo governo federal,…