Correio de Carajás

Alepa aprova projeto de Chamonzinho e stunt vira modalidade esportiva no Pará

Deputado Chamonzinho, acompanhado do vereador de Parauapebas, Aurélio Goiano, e praticantes do esporte “stunt”

Praticado com motocicleta, a modalidade reúne manobras, força e equilíbrio. Há registro de praticantes em vários municípios do Estado

A Assembleia Legislativa do Estado do Pará aprovou, no último dia 18 de maio, o projeto de lei do deputado estadual Wenderson Chamon, o Chamonzinho (MDB), que reconhece a prática do “stunt” (grau) como modalidade esportiva de motociclismo no Estado do Pará.

A realização de manobras, em que a força e o equilíbrio são exigidos ao máximo dos participantes, pode ser feita sob duas ou uma roda, em movimentos conhecidos como “grau”, “RL” ou “bob´s”.

A iniciativa de Chamonzinho visa a dar espaço à novidade que tem conquistado cada vez mais adeptos. A aprovação do projeto fará com que diminua o preconceito que assola muitos jovens praticantes do esporte. “Com espaços próprios, destinados para essa prática, não haverá mais a ilicitude que ronda essa juventude sangue bom, talentosa, propositiva e protagonista de seu esporte. Com o projeto, virão patrocinadores, melhores equipamentos, eventos oficiais, campeonatos municipais, regionais, estaduais e, certamente, também nacionais. Além de deixarem de praticar nas ruas, gerando riscos para si e para terceiros’, afirma o deputado.

Turma do “stunt” agradece Chamonzinho pelo apoio ao esporte

O esporte, que vem crescendo nos últimos anos no Brasil, tem conquistado homens e mulheres no estado do Pará. “Eles querem – e precisam – de um espaço próprio onde possam juntar a turma e fazer as acrobacias. São rapazes e moças que trabalham, têm suas famílias, mas que encontram diversão nesse esporte”, ressalta Chamonzinho, afirmando que a ideia é que o esporte possa ser praticado de forma segura, coibindo a realização em vias públicas, o que é considerada uma infração gravíssima de trânsito, prevista no Código Nacional de Trânsito.

Com o projeto aprovado e o reconhecimento do esporte pela Confederação Nacional de Motociclismo, o cenário caminha para a mudança, com a possibilidade de espaços específicos e seguros para a prática.

Cerca de 25 praticantes do esporte estiveram na Alepa, em Belém, durante a aprovação do Projeto de Lei. Felizes com a representatividade dentro do Poder Legislativo, eles agradeceram o empenho do deputado estadual Chamonzinho em reconhecer a prática como esporte.

“O deputado Chamonzinho vem valorizando os esportes radicais”, disse o líder de uma equipe

“Hoje é um dia muito importante pra gente. Até que enfim um deputado olhou para o nosso projeto e nossas ideias. Esperamos que as pessoas entendam que “o grau” não é crime. O deputado Chamonzinho vem valorizando os esportes radicais e isso vai trazer uma melhoria muito grande. Os jovens não serão mais tratados como vagabundos”, disse o líder de uma das equipes que praticam o esporte.

Além da sensação de liberdade, do enfrentamento ao medo e da superação, as atividades esportivas consideradas radicais trazem benefícios à saúde. Os praticantes afirmam que o esporte aumenta a autoestima, alivia o estresse, melhora o raciocínio lógico, além de ajudar na forma física.

O deputado Chamonzinho observa que os esportes radicais contagiam a juventude, atraindo adeptos e fãs que vão ao encontro para assistir as manobras. “O stunt é uma prática de malabarismo com motocicleta ou bicicleta, que consiste em realizar manobras nas quais força e equilíbrio são exigidos ao máximo pelos praticantes, onde apenas uma roda do veículo se mantém no chão”, explica.

Gratidão

Há oito anos, Letícia Willian é pilota de manobras radicais. Ela afirma que esse momento é de suma importância para quem pratica essa modalidade. “Agora vamos lutar pra ter um lugar para ‘meter no grau’ e treinar. Graças ao vereador Aurélio Goiano e ao deputado Chamonzinho”, agradece ela, que é do município de Parauapebas.

Letícia já é pilota de manobras radicais há mais de 8 anos

Segundo dados informais, o esporte já é praticado em diversos municípios do Estado, como Parauapebas, Igarapé-Açu, Santa Maria, Marituba, Ananindeua e Belém, e vem surpreendendo pela agilidade das manobras.

Para Chamonzinho, é dever do Estado estimular e incentivar práticas esportivas formais e não formais, como garantia de direitos de cada cidadão. “Com o reconhecimento legal e sua regulamentação, o esporte terá mais apoio”, prevê. (Ana Mangas)

Comentários

Mais

São Geraldo está há 10 anos sem cumprir a lei para compra da agricultura familiar

São Geraldo está há 10 anos sem cumprir a lei para compra da agricultura familiar

De acordo com um parecer técnico emitido pelo Centro de Apoio Operacional (MINI-GATI) e enviado ao Ministério Público do Pará,…
Prefeitura de Curionópolis entregou prédios modernos e funcionais

Prefeitura de Curionópolis entregou prédios modernos e funcionais

A prefeitura de Curionópolis entregou, na última sexta-feira (1º), importantes obras à população local. Foram inauguradas, além da Escola Rita…
Pílula antirressaca promete reduzir efeitos do álcool em até 70%

Pílula antirressaca promete reduzir efeitos do álcool em até 70%

Uma pílula com a proposta de prevenir ressacas foi lançada no mercado europeu nesta segunda-feira (4/7). A Myrkl promete quebrar…
Ministério Público do Trabalho inspeciona Caixa em caso sobre assédio

Ministério Público do Trabalho inspeciona Caixa em caso sobre assédio

O Ministério Público do Trabalho (MPT) realizou, na manhã desta segunda-feira (4), inspeção na sede da Caixa Econômica Federal, em…
FAB intercepta avião com 500 quilos de cocaína

FAB intercepta avião com 500 quilos de cocaína

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, por volta das 12h36 (horário de Brasília) deste domingo (3), em Mato Grosso do…
VÍDEO: bingo tem confusão após 101 pessoas ganharem juntas prêmio de R$ 1.000 no Ceará

VÍDEO: bingo tem confusão após 101 pessoas ganharem juntas prêmio de R$ 1.000 no Ceará

Uma confusão foi registrada em um bingo de cartelas após 101 pessoas ganharem juntas um prêmio de R$ 1.000. O…